“Enquanto Bahia e Piauí disputam o maior parque, Sergipe veta projeto por miopia”, lamenta Luciano Pimentel

O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa para voltar a tratar do projeto de sua autoria que institui a Política Estadual de Incentivo à Geração e Aproveitamento da Energia Solar em Sergipe. A proposta, aprovada pela Casa e vetada pelo Governo do Estado, ainda gera muita insatisfação no parlamentar que passou a fazer comparações com outros Estados da região Nordeste. Segundo ele, enquanto os sergipanos vetam a lei por “miopia”, Bahia e Piauí disputam a construção do maior parque de energia solar do Brasil.

Antes de fazer seu discurso, Luciano Pimentel exibiu um vídeo em plenário do programa “É de Casa”, da Rede Globo, no último sábado (17), onde se destaca a inauguração do parque de energia solar em Bom Jesus da Lapa (BA) e que, até o final do ano, outros três pátios serão entregues no Nordeste. “Nossa proposta foi aprovada por unanimidade, mas o governador vetou e esta Casa manteve o veto por maioria simples. Sergipe tem hoje o pior desempenho energético do Nordeste e o terceiro pior do País”, disse, baseado em dados do Ministério das Minas e Energia.

Luciano Pimentel destacou ainda o compromisso com o desenvolvimento e o planejamento do governo da Bahia, sobretudo no pensar a energia solar, energia voltaica. “Enquanto nós vetamos a lei, por absoluta miopia, Bahia e Piauí disputam o maior parque. Municípios como Carira, Frei Paulo e (Nossa Senhora da) Glória, por exemplo, poderiam ser aproveitados na geração de energia. Este é um projeto estruturante e só traz benefícios para a sociedade e para o Estado”.

Sem querer criticar o investimento, Luciano Pimentel tratou da usina termoelétrica à gás que está sendo construída no Estado e quem segundo o governo e a empresa, “vai promover o fortalecimento do povo onde está sendo feita a importação de gás, além de novos investimentos”. “A diferença da produção de energia com gás que vai ser feita por essa termoelétrica para a produção de energia com óleo diesel, é de uma redução de no máximo 25% do gás carbônico que é liberado para a atmosfera, ou seja, é uma usina poluente”.

Por fim, o deputado apresentou uma série de gráficos sobre o crescimento da utilização de energia fotovoltaica e destacou os investimentos feitos por Estados como Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul. “Tem município pequeno no Ceará fornecendo energia para mais de 500 unidades habitacionais. A Bahia estuda um novo projeto em Tabocas do Brejo Velho, que além de emprego e renda, vai ajuda o País no consumo e produção de energia. Infelizmente vivemos em um Estado sem planejamento algum para o futuro”, disse, destacando o papel importante nesta área do ex-governador Marcelo Déda (in memoriam).

“Vou apresentar um requerimento para que o presidente desta empresa que vai construir esta unidade de geração de energia venha a esta Casa expor o programa e quais as compensações ambientais que a empresa vai apresentar ao Estado. Talvez por um mal entendido ou por eu ser deputado de oposição, nossa proposta foi vetada. Vamos montar um bloco e vamos visitar a Procuradoria Geral do Estado e tentar convencê-los da importância desta proposta”, concluiu Luciano, sendo aparteado e elogiado pela deputada Ana Lúcia (PT), que sugeriu a realização de uma audiência pública, em conjunto, para ouvir especialistas da Universidade Federal de Sergipe sobre o tema.

Por Agência de Notícias Alese
Foto: Jadílson Simões

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA